Abertura do I Congresso ontem (7) contou com uma plateia expressiva

Com uma plateia atenta, foi iniciado ontem à noite (7), no auditório do Centro Cultural Rossini, em Santo Amaro, o I Congresso de Servidores do Ministério Público de Pernambuco cujo tema central é a superação da precarização do trabalho no serviço público. A abertura foi comandada pelo presidente do Sindicato dos Servidores do MPPE (Sindsemp-PE), Fernando Ribamar, que fez as saudações aos congressistas e convidados da mesa composta por Vânia Leal, da FENAMP; Aldo Clemente, da ANSEMP; e Jackeline Natal, do DIEESE. Depois, foi prestada uma homenagem aos ex-presidentes da entidade sindical como reconhecimento pelas lutas e espaços conquistados em prol da categoria.

Em seguida, os trabalhos foram iniciados com a exposição da cientista social, Lana Bleicher, professora da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que falou sobre “O mito do servidor improdutivo e a superexploração do trabalho”. Com uma dinâmica bem estruturada apresentou algumas características do processo de precarização estrutural do trabalho como um todo e suas especificidades para os trabalhadores do serviço público. Falou sobre os desmontes que vem acontecendo no país desde a década de 90 e os retrocessos que os servidores públicos vêm sofrendo desde lá com o modelo gerencialista imposto pelo governo de Bresser Pereira.

A palestrante, Lana Bleicher à mesa com Fernando Ribamar e o secretario geral do MPPE, Maviael Cavalcante

De lá para cá, apontou ela, foi construído um mito de que o servidor público é improdutivo, que acumula privilégios. “É uma retórica de vilanização desse trabalhador porque atacá-lo implica em desconstruir as políticas públicas inscritas Constituição”, diz. Mostrou como em três décadas houve uma intensificação das atividades, produzida pelo trabalho à distância sem a devida elevação salarial; a gestão por metas; remuneração abaixo do valor real; e como houve um aumento significativo nos casos de assédio, provocando o adoecimento no trabalho. “Os repetidos ajustes fiscais, culminando com a Emenda Constitucional 95/16 dos tetos dos gastos, têm causado ataques às carreiras, à previdência e às condições materiais para execução do trabalho”, enfatizou Bleicher.

Depois da fala da palestrante, Ribamar recebeu algumas perguntas da plateia e, em seguida, abriu o microfone para o secretário geral, Maviael Cavalcante, que prestigiou o evento e representou o procurador geral, Francisco Dirceu Barros, que estava em outro compromisso. O secretário iniciou a fala parabenizando a iniciativa do Sindicato como um todo pela realização do evento que, segundo ele, tem uma importância significativa para a categoria por ser um momento de reflexão e discussão acerca de temas de interesse de todos os servidores. E não apenas do MPPE, mas também de outras instituições. Sugeriu que a entidade sindical amplie suas bases no intuito de fortalecer ainda mais os movimentos.

De uma maneira geral, Cavalcante falou sobre as ações que a gestão do MPPE vem fazendo no sentido de buscar sempre a valorização do servidor. Citou, inclusive, a posição que o procurador geral já ocupou como sindicalista em sua carreira e que por isso ele entende e é sensível as causas da categoria. No entanto, destacou que, como gestor, o procurador geral precisa equalizar o orçamento para garantir a melhor prestação de serviço à população. Falou sobre a situação atual em que a região se encontra, de todo o processo de desinvestimento que está passando com as ações tomadas pelo novo governo e convocou a todos presentes e à população de uma maneira geral, a irem às ruas, lutar pelos seus direitos e não apenas ficar em casa esperando as coisas acontecerem. “No momento em que estamos, é preciso que todos se libertem das convicções partidárias. É preciso ir à luta independente de qual lado estejam. É uma luta de toda a sociedade”, ressaltou.

 

 

 

 

 

Compartilhar: