Evento marcou a posse da nova diretoria e os 18 anos do Sindicato

Mesa: Edilson Silva, Maria Ivana Botelho, Tony Távora, Fernando Ribamar, Eduardo Maia e Ronaldo Sampaio

Na última quarta (31), o salão de eventos do Senac, em Santo Amaro, foi palco da cerimônia de posse da nova diretoria executiva do Sindicato dos Servidores do Ministério Público de Pernambuco (Sindsemp/PE) para o biênio 2018/2019, que aproveitou a ocasião para festejar os 18 anos da entidade. O evento reuniu servidores, políticos e convidados numa noite simples, porém bastante agradável. Sentados à mesa, estiveram (da esquerda para a direita): o deputado estadual, Edilson Silva; a vice-presidente da Associação do Ministério Público de Pernambuco (AMPPE), Maria Ivana Botelho; o coordenador executivo da Federação nacional do Ministério Público (Fenamp) e presidente da Associação Nacional do Ministério Público (Ansemp); Tony Távora; o presidente do Sindsemp/PE, Fernando Ribamar; o diretor da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB) e coordenador geral do Sindsemp/MG, Eduardo Maia; e o secretário geral do Sindsemp/PE, Ronaldo Sampaio.

A abertura foi comandada por Fernando Ribamar, que falou um pouco sobre os desafios do trabalho que vem enfrentando nesses dois anos em que está à frente da gestão, segundo ele “período dos mais conturbados na história recente do país”. Para Ribamar, as graves demandas como a crise institucional, o golpe do “impeachment”, os ataques aos direitos dos trabalhadores e às organizações classistas e a entrega do patrimônio às empresas estrangeiras, têm exigido uma intensa atuação do Sindicato, com ações desenvolvidas no Estado e em todo o Brasil. Citou a questão da criação da entidade federativa, criada em 2016, que teve um rápido crescimento e hoje alcança quase a totalidade dos estados brasileiros, ao mesmo tempo em que a associação nacional ampliou as forças, atuando com coragem na defesa dos direitos e interesses dos trabalhadores do Ministério Público.

Falou ainda sobre a parceria aqui no Estado entre sindicatos como o Sindilegis, Sindijud, Sindicontas, SEEPE e Sinpol, às quais tem realizado ações e campanhas de enfrentamento aos retrocessos pós-golpe. No plano interno, Ribamar lembrou o fortalecimento da democracia, colocando em prática as eleições de representantes de base, pela primeira vez na história do Sindsemp/PE, o que vem ampliando a participação da categoria na gestão da entidade. Destacou a importância da adoção do modelo de gestão mais democrático envolvendo os servidores na solução das demandas com êxito nas várias mobilizações e paralisações tendo como resultado, o reajuste do auxílio saúde, a instalação da mesa de negociações, a ampliação do prazo para se submeter à junta médica, a revisão salarial sem ampliação das perdas inflacionárias no biênio 2017/2018 e a definição da data-base em 1º de maio, a partir do próximo ano.

Para complementar, além do balanço geral dos dois anos no comando do Sindsemp/PE, Ribamar enfatizou a representatividade da nova diretoria frente à categoria, que agora conta com uma diretoria executiva formada em igual número por mulheres e homens a fim de atender a todos da melhor maneira possível. “Não podemos admitir que os servidores continuem sem voz e sem voto, e iremos fazer, desta, a nossa principal bandeira! Entendemos que uma democracia plena no MP só poderá existir quando os servidores  tiverem o “status” de integrante da instituição, tendo direito a participar do processo de escolha da sua chefia máxima, bem como das demais instâncias deliberativas”, disse.

O deputado estadual, Edilson Silva, fez uma saudação ao Sindicato e fez questão de ressaltar a honra em participar da mesa. Disse ainda que a atuação do Ministério Público é muito importante nas pautas públicas do Legislativo e que o seu gabinete será sempre muito solícito aos pleitos dos servidores do MPPE. Após uma breve fala de todos que compuseram a mesa, o Sindsemp/PE abriu o microfone para o filósofo e cientista político, Michel Zaidan Filho, professor titular da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que fez uma explanação sobre o desmonte do Estado e os ataques ao serviço público, versando sobre a lógica das políticas governamentais e o significado de sua privatização para a sociedade como um todo. Citou a questão da problemática da reforma do estado, tornando-o um estado gerencial que deixa de ser provedor da oferta de bens para ser uma espécie de gerenciador dos bens, das políticas sociais. Num apanhado geral comentou sobre o triste e sombrio momento pelo qual o país está passando. Falou sobre a grande insegurança jurídica e como a constituição de 1988 é um documento importante para a defesa das políticas sociais do país.

Servidoras do MPPE foram agraciadas com placa

A noite contou ainda com a homenagem aos servidores aposentados que receberam placa com menção honrosa em agradecimento aos serviços prestados ao MPPE. O público também pode desfrutar do pocket show com a cantora da nova cena da música brasileira, a pernambucana, Isadora Melo, junto ao músico Rafael Marques. Num misto de personalidade e entrosamento, a dupla envolveu a platéia na apresentação do repertório do mais novo trabalho da cantora intitulado “Vestuário”. No final, todos participaram de um coquetel com direito a bolo e parabéns para o Sindicato.

A cantora Isadora Melo embalou e encantou a platéia

 

 

Compartilhar: