Opressão feminina é tema do Clube de leitura na próxima quarta (16)

Acompanhando a temática da opressão vivida pelas mulheres na sociedade capitalista, desde a época da inquisição até os dias de hoje, o próximo encontro do Cube de Leitura, promovido pelo Sindicato dos Servidores do Ministério Público de Pernambuco (Sindsemp/PE) acontece na próxima quarta-feira (16), às 18hs, na sede da entidade, na av. Visconde de Suassuna, nº 114, em Santo Amaro. Na ocasião, o público irá conhecer um pouco mais sobre a obra “Calibã e a Bruxa”, da historiadora italiana Silvia Federici, uma intelectual militante feminista.

Publicação foi relançada em português no ano passado com interpretação do Coletivo Sycorax, de São Paulo

Lançado em 2004 e relançado em português no ano passado, graças aos esforços de acadêmicas feministas do Coletivo Sycorax, de São Paulo, o livro faz uma verdadeira investigação do que houve com as mulheres durante a lenta e gradual instalação do capitalismo – e que coloca a caça às bruxas como o grande evento responsável por aniquilar a participação, a força e a resistência femininas, que até então eram comuns nas comunidades praticamente do mundo inteiro.

São 460 páginas que lançam luz sobre duas questões históricas muito importantes: como explicar a execução de centenas de milhares de “bruxas” no começo da Era Moderna, e por que o surgimento do capitalismo coincide com essa guerra contra as mulheres que acontece até os dias de hoje. Segundo esse esquema, a caça às bruxas buscou destruir o controle que as mulheres haviam exercido sobre sua própria função reprodutiva e preparou o terreno para o desenvolvimento de um regime patriarcal mais opressor. Essa interpretação também defende que a caça às bruxas tinha raízes nas transformações sociais que acompanharam o surgimento do capitalismo.

No entanto, as circunstâncias históricas específicas em que a perseguição às bruxas se desenvolveu — e as razões pelas quais o surgimento do capitalismo exigiu um ataque genocida contra as mulheres — ainda não tinham sido investigadas. Essa é a missão que a autora teve ao escrever Calibã e a bruxa, começando pela análise da caça às bruxas no contexto das crises demográfica e econômica europeias dos séculos XVI e XVII e das políticas de terra e trabalho da época mercantilista.

O debate será comandado pela socióloga e educadora popular, Carmen Silva, integrante do SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia que publicou recentemente o livro Feminismo Popular e Lutas Antissistemicas. Ao final do debate haverá sorteio de um exemplar.

A mediadora Carmen Silva é doutora em Sociologia pela UFPE

 

SERVIÇO:

ENCONTRO DO CLUBE DE LEITURA

Livro: Calibã e a bruxa, da historiadora Silvia Federici

Exposição: da socióloga Carmen Silva, integrante do SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia

Quando: 16 de maio (quarta-feira)

Horário: 18hs

Local: auditório do Sindicato dos Servidores do Ministério Público de Pernambuco, na av. Visconde de Suassuna, nº 114, em Santo Amaro.

 

Compartilhar: