Sindicato do MPRS reage contra intenção da Administração em terceirizar os serviços

No último dia 11, o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS) divulgou pregão eletrônico para contratação de serviços terceirizados para funções administrativas. De acordo com o edital, serão terceirizadas funções de servidores de provimento efetivo, notadamente agentes administrativos e, lateralmente, de assistentes e de secretários de diligências.

Diante do fato, o presidente do Sindicato do MPRS, Alberto Ledur, que é contrário à prática, iniciou movimentos para barrar o que considera um duro ataque aos servidores. “Buscamos a implementação de um Plano de Carreira e defendemos fundamentalmente o acesso ao MP por concurso público. A medida sinaliza a disposição da Administração de terceirizar boa parte da atividade de nível médio do MP. O dado, agregado a política de nomeação de cargos em comissão no nível superior de assessoramento a membros, representa praticamente um extermínio do que hoje conhecemos como Quadro de Servidores do MP”, denuncia.

De olho nos ataques sofridos pelos servidores dos Ministérios Públicos em todo o país para a contratação de serviços terceirizados, o Sindsemp-PE se mobiliza juntamente com os sindicatos dos servidores do Rio Grande do Sul (Simpe-RS) e de Minas Gerais e está disposto a lutar pela categoria.

Compartilhar: